Surgeons standing in operation room at hospital

Anestesiologia como Especialidade Médica

A Anestesiologia é uma especialidade médica que sofreu uma evolução importante nos últimos 20 anos, abrangendo não só a intervenção no bloco operatório, mas também outras áreas, tais como a medicina da dor (dor crónica e aguda), a medicina intensiva, a emergência médica (reanimação) e a medicina peri-operatória (avaliação pré, intra e pós-operatória).

A Anestesiologia engloba a prestação de um conjunto de cuidados específicos com o objetivo de eliminar ou atenuar a dor, reduzir ou suspender totalmente  os movimentos voluntários autónomos, atenuar ou suspender o estado de consciência vigíl, mantendo o equilíbrio das funções orgânicas e dos sinais vitais, identificando e tratando complicações potencialmente ameaçadoras à vida e promovendo a segurança e o bem estar dos doentes que vão ser submetidos a procedimentos cirúrgicos.

Estes profissionais estão também presentes em alguns exames auxiliares de diagnóstico pelo risco que estes comportam (ex: cateterismo cardíaco), mas também para proporcionar conforto e segurança em exames que provocariam dor caso não fossem realizados com sedação anestésica (ex: endoscopia digestiva alta e colonoscopia) ou em situações como exames de imagiologia (ex: ressonância magnética, tomografia computorizada) em crianças ou doentes incapazes de colaborar.

A intervenção do anestesiologista começa antes do procedimento e termina muito depois do mesmo. Frequentemente, quando a um doente é proposta uma cirurgia ou exame diagnóstico, é marcada uma consulta de anestesia em que é efetuada uma avaliação médica ao doente.Para assegurar todas as condições para uma anestesia segura é necessário obter informações sobre alergias, medicação habitual, anestesias e cirurgias préviase doenças, nomeadamente do foro cardíaco e respiratório. É pedido que os doentes levem à consulta toda a informação médica que tenham em casa, incluindo exames anteriores para que o anestesiologista tenha um conhecimento total da sua situação clínica e assim dar as indicações necessárias para que o procedimento decorra de forma segura e sem intercorrências. Poderá ser necessário pedir mais exames auxiliares de diagnóstico (ex: análises, eletrocardiograma, entre outros) para completar o estudo.

Os médicos anestesiologistas são profissionais treinados para lidarem de forma pronta e eficaz com as situações de grande emergência e gravidade. Estão preparados para saber liderar o grupo de profissionais que atuam nessas situações.

Os locais de intervenção dos anestesiologistas estão sempre equipados de monitores e máquinas que permitem um bom controlo das funções vitais do doente, durante o período em que este geralmente perde a consciência e o controlo sobre o que lhe possa acontecer. O anestesiologista permanece durante todo o procedimento junto do doente, monitorizando continuamente as suas funções vitais, como os batimentos cardíacos, tensão arterial, respiração, temperatura corporal, entre outros, cuidando da manutenção do seu bem-estar e tratando qualquer questão que possa surgir, consequência da cirurgia e/ou procedimento técnico diagnóstico a que está a ser submetido ou de alterações resultantes das doenças que apresenta previamente ao procedimento.